Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Uma jornada pela sustentabilidade

Notícias

Uma jornada pela sustentabilidade

A Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração – SPOA/MF promoveu, junto com a Esaf, e com apoio da Agência Nacional de Águas – ANA o III Seminário de Sustentabilidade – Eficiência na Gestão Pública Consciente, realizado nas instalações do Ministério da Fazenda no último dia 13 de novembro.

A abertura do evento foi realizada pelos titulares da SPOA e da Esaf e pela representante da ANA, respectivamente, Nerylson Lima da Silva, Fernando Meneguin e Magaly Vasconcelos. Eles falaram da importância da temática no âmbito da administração pública e destacaram a parceria dos órgãos que viabilizaram o evento.

Eficiência na gestão pública / Gestão adequada dos resíduos gerados

No período da manhã, a primeira mesa, sobre resíduos sólidos, contou com a participação de Magaly Vasconcelos, da coordenação de gestão ambiental e sustentabilidade da Agência Nacional de Águas – ANA. Ela abordou os programas da Agência em diversos programas, como a instalação de EcoPontos (coleta) e Papel Zero. Apontou que um caminho viável é trabalhar os cinco “R”, que são:

Repensar – exercer controle social sobre a cadeia de produção e consumo

Recursar – evitar consumo exagerado e desnecessário, adquirindo apenas produtos essenciais

Reduzir a geração de lixo

Reutilizar sempre que possível

Reciclar, ou seja, transformar algo usado em algo novo. 

A diretora-presidente do Serviço de Limpeza Urbana – SLU, Heliana Kátia Campos, apresentou as ações do órgão para o fechamento do “lixão” de Brasília, considerado o segundo maior do mundo, com a marca pouco desejável de 40 milhões de toneladas de rejeitos. Em paralelo, foi inaugurado o primeiro aterro sanitário na história do DF. Ela informou que foram investidos 80 milhões de reais para fechamento do lixão, dos quais 50 milhões para tratar com dignidade a questão dos catadores: instalação de esteiras rolantes, equipamentos de proteção coletiva e individual, aquisição de empilhadeiras, dentre outros investimentos. Atualmente 11 cooperativas realizam a coleta seletiva, envolvendo 436 catadores.

Contratações públicas sustentáveis

Contratações públicas sustentáveis foi o primeiro tema da tarde, com Isabela Gebrim, da Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento. Sua abordagem foi sobre as novas formas de trabalhar economia, gestão de pessoal, governança e inovação no setor governamental.

Informou que a Central de Compras é uma unidade dedicada e especializada, que desenvolve modelos de aquisição e contratação centralizadas; atua na inteligência e estratégia de licitação, aquisição e contratação de bens, além de monitorar a execução dos processos de compras e apoiar os órgãos e entidades do sistema. A nova sistemática foi implantada em outubro e, até fevereiro/2019, estará implantada em seis ministérios, inclusive o da Fazenda, o que exige a melhora da comunicação entre os órgãos e permite que esforços sejam mais focados em demais serviços que possam ser mais importantes para a população.

Consumo consciente, uma questão comportamental

As necessidades psicológicas que acompanham os indivíduos em se tratando de consumo foram abordadas por Ketlin Scartezini, assessora-chefe de Gestão socioambiental do STJ. Ela argumentou que mudanças de hábito não ocorrem apenas no trabalho, porque estão relacionadas a questões afetivas de consumo e acumulação, a memórias que já não fazem mais sentido prático, muitas vezes. A psicóloga Anielle Campos aprofundou as questões comportamentais com a abordagem “Viva melhor emocionalmente”, a busca da qualidade de vida, formas de enfrentar a raiva, dicas de meditação. Relacionou sustentabilidade com qualidade de vida, que envolvem respeito e empatia no ambiente de trabalho, assim como necessidade de autoconhecimento dos indivíduos.

A palestra de encerramento do III Seminário foi feita pelo subsecretário da SPOA, Nerylson Lima da Silva, que abordou o tema Qualidade de Vida no Trabalho de acordo com o Plano de Logística sustentável. Ele apresentou os programas implantados no Ministério da Fazenda, que englobam a criação do Espaço Servidor, fomento ao grupo Coral, exposições no Túnel das Artes, espaço de leitura, eventos de saúde e valorização do servidor, tratamento do lixo pelo projeto Separe Aqui, espaço de meditação, construção de bicicletário, dentre outras ações regionais.

Para Fabiana Baptistucci, diretora de Educação da Esaf, área responsável pela organização do evento, os ganhos mais importantes para os participantes foram demostrar a abordagem multidisciplinar que a sustentabilidade deve ter e a ligação importante com a qualidade de vida no trabalho. Outro aspecto que merece destaque é observar as três dimensões da sustentabilidade:  econômica, social e ambiental. “Só conseguiremos avançar nas ações necessárias com eficiência, com financiamento e apoio dos dirigentes dos órgãos, pessoas interessadas e motivadas e uma agenda de ações organizadas que não fiquem só no papel”, afirmou Fabiana.