Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Educar para a Vida

Notícias

Educar para a Vida

Exibir carrossel de imagens Crédito: Daniel Nek / Esaf Jogo de futsal masculino

Jogo de futsal masculino

A Esaf sediou os Jogos Escolares do Paranoá e Itapoã e recebeu em três dias aproximadamente dois mil alunos de 32 escolas daquelas localidades, inscritos nas modalidades coletivas dos 57º Jogos Escolares do DF.

Além das quatro modalidades coletivas - basquete, futsal, handebol e vôlei -, os Jogos Escolares incluem 10 modalidades individuais, como atletismo, badminton, ciclismo, ginástica rítmica, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, vôlei de praia e xadrez. Segundo uma das coordenadoras dos Jogos, professora Thaís Piantino, ainda há a “queimada”, um jogo democrático, que não faz parte dos esportes oficiais, mas que reúne muito adeptos.

Os Jogos são separados por categoria de 12 a 14 anos e de 15 a 17 anos, e por gênero. Anita Rondon, da Gerência de Educação Física e Desporto Escolar, destacou o Centro Educacional do Projeto do Agrupamento Dirigido – Ced do PAD, que “faz parte da região administrativa do Paranoá, porém localiza-se a 50 km de distância, na divisa dos estados do DF e GO, na zona rural. Foi a única escola que teve inscrições de todas as modalidades”.

As cerimônias de premiação das duas modalidades aconteceram hoje, 21/6, na Esaf. A diretora de Educação, Fabiana Baptistucci, recebeu em nome da Esaf, o troféu pelo qual os organizadores reconheceram e agradeceram a acolhida dada aos participantes. Os classificados regionalmente passarão para a fase distrital, agendada para os meses de agosto e setembro.

Os Jogos Escolares do DF também funcionam como seletiva para os Jogos Escolares da Juventude, em nível nacional. Neste ano, Brasília será uma das cidades-sede do maior evento esportivo estudantil do País. A cidade receberá a etapa de 15 a 17 anos dos Jogos da Juventude, de 16 a 25 de novembro. Antes, a disputa de 12 a 14 anos será em Curitiba -PR, de 12 a 21 de setembro.

Mais do que competição, o que se sente ao presenciar eventos desse cunho, é paixão. Não só dos alunos, mas principalmente dos professores, demonstrado na fala do professor coordenador do evento, José Eduardo Fernandes: “gratidão por estar como professor em uma missão de educação para a vida”.