Você está aqui: Página Inicial > Notícias > “O lixo é de quem o gera” - Projeto Grandes Geradores está em implantação no Distrito Federal

Notícias

“O lixo é de quem o gera” - Projeto Grandes Geradores está em implantação no Distrito Federal

Paulo Gomes, SLU

Paulo Gomes, SLU

Uma das experiências trazidas ao II Diálogo Finanças e Meio Ambiente – Seminário Internacional de Eficiência Energética e Compras Sustentáveis foi o projeto “Grandes Geradores”, que vem sendo implantado pelo Distrito Federal.

O palestrante foi Paulo Celso Gomes, diretor técnico do Serviço de Limpeza Urbana. Ele esclareceu que grandes geradores são aqueles que produzem em média diariamente mais de 120 litros de lixo não reciclável (aproximadamente um saco de 100 litros). Incluem-se na categoria instituições (de uso não residencial), como shoppings, padarias, supermercados, aeroportos, restaurantes e bares.

Paulo Gomes esclareceu que existe legislação federal que desobriga o Estado de recolher e tratar os resíduos não recicláveis. Em virtude deste fato, o GDF criou a Lei 5.610, em 2016, regulamentada por legislações em 2017, que dá prazos para que os grandes geradores façam seu cadastro no site do SLU, informem a quantidade de lixo gerado e criem seus planos de geração de resíduos sólidos.

O SLU poderá manter a coleta de lixo reciclável separado no caso das empresas que fizerem o tratamento e a separação adequada de seus resíduos. Já o lixo orgânico, incluindo coleta, transporte e destinação final devem ser providenciados pelas empresas por meio de equipe própria ou contratar empresas terceirizadas cadastradas pelo SLU.

Até 31 de dezembro de 2017 inclusive os órgãos públicos de todas as esferas no Distrito Federal deverão fazer o tratamento adequado dos seus resíduos. Também para eles, desde que façam a separação devidamente, o SLU manterá o recolhimento de qualquer volume (reciclável separado). O palestrante informou que até o momento, o site do SLU contabiliza 230 grandes geradores cadastrados.

Outra novidade é a categoria grandes eventos, cujos organizadores também deverão apresentar plano prévio de tratamento do lixo produzido e responsabilizar-se por seu recolhimento e destinação.

Os números impressionam

Atualmente o SLU gasta aproximadamente 360 milhões de reais ao ano com a terceirização de serviços. A estimativa é que este valor caia para 18 milhões de reais/ano em 2018, com a implantação do projeto Grandes Geradores.

O palestrante ratificou que o “Lixão da Estrutural” será fechado em outubro próximo. “Trata-se do maior lixão do mundo, com 40 milhões de toneladas de lixo, o inferno de Dante”, comparou Paulo Gomes, para enfatizar a necessidade de uma mudança radical no tratamento do lixo produzido na cidade.